Fundo Arquidiocesano de Solidariedade

O que é o FAS?

É um fundo solidário permanente, composto pelos recursos da Coleta da Campanha da Fraternidade, realizada no Domingo de Ramos. O FAS visa apoiar projetos realizados pelas Ações Sociais Paroquiais, Movimentos Sociais, Grupos de Economia Solidária, Pastorais Sociais da Arquidiocese de Florianópolis.

Os Fundos de Solidariedade, mais do que mecanismos de financiamento de projetos, são instrumentos da economia comunitária a serviço do desenvolvimento local, visto que os projetos sociais devem cumprir um papel de fortalecimento das organizações locais, das dinâmicas geradoras do desenvolvimento local/comunitário, econômico e social.

Como surgiu?

A proposta partiu da Cáritas Brasileira e das Pastorais Sociais. Em 1998, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB aprovou a iniciativa, durante a sua 36ª Assembleia, determinando a seguinte distribuição dos recursos da coleta: 60% para compor os Fundos Diocesanos e 40% para o Fundo Nacional de Solidariedade.

Objetivos

  • Apoiar iniciativas que apontem para a superação das estruturas de pobreza e injustiça.
  • Estimular e favorecer a construção de relações solidárias e não discriminatórias.
  • Favorecer a criação de projetos alternativos de geração de trabalho e renda.
  • Incentivar projetos sociais referentes aos temas da Campanha da Fraternidade de cada ano.

 Áreas de Apoio

  • Projetos Sociais: São aqueles ligados à temática da Campanha da Fraternidade e/ou desenvolvidos por grupos e entidades que fortalecem a promoção da solidariedade e organização comunitária.
  • Projetos de Geração de Trabalho e Renda: São os que visam a organização de grupos, associação ou cooperativas que atuam na perspectiva de Economia Popular Solidária.

Critérios Gerais para Seleção de Projetos

  • Os projetos deverão ser apresentados em formulários próprios do Fundo, com todos os itens respondidos;
  • As entidades e/ou grupos que solicitarem recursos deverão respeitar o prazo de entrega, sendo de até 15 (quinze) dias com antecedência, das reuniões ordinárias, na sede da ASA, não serão considerados a data da postagem;
  • O Fundo Arquidiocesano de Solidariedade tem abrangência nos municípios da Arquidiocese de Florianópolis, apoiando somente os projetos que sejam desenvolvidos nessas regiões;
  • Os projetos apresentados deverão enfatizar na proposta de ação, iniciativas que busquem maior diálogo com a comunidade onde o projeto está inserido, assim com, fortalecer e/ou incentivar ações em rede;
  • Os projetos que promovam a formação e/ou capacitação de agentes, deverão incentivar a promoção do protagonismo, o conhecimento sobre as políticas públicas e o exercício do controle social;
  • Os projetos terão 45 dias para apresentação da prestação de contas, em formulário próprio do FAS;
  • Os projetos que estiverem fora dos critérios não serão encaminhados para analise do conselho do FAS.

Prioridades de Apoio

  • Temáticas da Campanha da Fraternidade;
  • Geração de Trabalho e Renda – Economia Popular Solidária (EPS);
  • Regiões e/ou áreas em situação de vulnerabilidade social ou em áreas de risco;
  • Formação para o exercício do controle social e políticas públicas;
  • Mobilização para a defesa e garantia de direitos.

Datas de Análise dos Projetos

Primeira semana dos meses de março, junho, setembro e dezembro.

Fundo Nacional de Solidariedade

Nossas comunidades, além de contar com o Fundo Arquidiocesano, poderão acessar os recursos do Fundo Nacional de Solidariedade (FNS). As ações apoiadas pelo FNS contribuem para a melhoria das condições de vida de muitas pessoas. Os projetos apoiados por este fundo priorizam ações de formação de agentes, de economia solidária e de organização comunitária.

CONSELHO GESTOR

O Conselho de Análise dos Projetos é assim constituído: Ecônomo da Arquidiocese, Coordenação de Pastoral, Ação Social Arquidiocesana e indicados a critério do conselho. A Gestão Administrativa e Contábil é de responsabilidade da Ação Social Arquidiocesana.

  • Revelino Seidler – Coordenação Arquidiocesana de Pastoral
  • Pe. Tarcísio Pedro Vieira – Ecônomo da Arquidiocese
  • Diacono Luiz Paulo de Campos – Presidente da Ação Social Arquidiocesana – ASA
  • Maria Angelita Klock Rachadel – Coordenação Arquidiocesana de Pastoral
  • Mariele Leticia Gomes Magalhães Santos – Técnica em Projetos Sociais PELO CONSELHO gestor do Fundo Arquidiocesano de Solidariedade