Ação Social Arquidiocesana

Fundo Arquidiocesano de Solidariedade

Fundo Arquidiocesano de Solidariedadever mais...

 

É um fundo solidário permanente, composto pelos recursos da Coleta da Campanha da Fraternidade, realizada no Domingo de Ramos. O FAS visa apoiar projetos sociais e de geração de trabalho e renda, apresentados pelas ações sociais paroquiais, grupos e pastorais da Arquidiocese de Florianópolis.

 

Como surgiu?

 

A proposta partiu da Cáritas Brasileira e das Pastorais Sociais. Em 1998, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB aprovou a iniciativa, durante a sua 36ª Assembléia, determinando que a seguinte distribuição dos recursos da coleta: 60% para compor os Fundos Diocesanos e 40% para o Fundo Nacional de Solidariedade.

 

Objetivos

 

  1. Apoiar iniciativas que apontem para a superação das estruturas de pobreza e injustiça.
  2. Estimular e favorecer a construção de relações solidárias e não discriminatórias.
  3. Favorecer a criação de projetos alternativos de geração de trabalho e renda.
  4. Incentivar projetos sociais referentes aos temas da Campanha da Fraternidade de cada ano.

 

Áreas de Apoio

 

Projetos Sociais são aqueles ligados à temática da Campanha da Fraternidade e/ou desenvolvidos por grupos e entidades que fortalecem a promoção da solidariedade e organização comunitária.

Projetos de Geração de Trabalho e Renda são os que visam à organização de grupos, associações ou cooperativas, que atuam na perspectiva de Economia Popular Solidária.

 

Cique aqui e conheça os 18 Projetos contemplados em Julho de 2013.

Critérios para o Fundo Arquidiocesano de Solidariedade FASver mais...

 
1. Áreas de Apoio: Projeto Social e Geração de Trabalho e Renda
 
 
1.1. Critérios Gerais
 
- Os projetos deverão ser apresentados em formulários próprios do Fundo, com todos os itens respondidos, abaixo você encontra os links para baixar o modelo dos formulários;
 
 
- As entidades e/ou grupos que solicitarem recursos deverão respeitar o prazo de entrega, sendo de até 15 (quinze) dias com antecedência, das reuniões ordinárias na sede da ASA, não serão considerados a data da postagem;
 
- O Fundo Arquidiocesano de Solidariedade tem abrangência nos municípios que compõem a Arquidiocese de Florianópolis, apoiando somente os projetos que sejam desenvolvidos nessa região;
 
- O valor máximo a ser aprovado para as duas áreas de apoio é de 10 (dez) salários mínimos nacional;
 
- Os projetos apresentados deverão enfatizar na proposta de ação, iniciativas que busquem maior diálogo com a comunidade onde o projeto está inserido, assim como, fortalecer e/ou incentivar ações em rede;
 
- Os projetos que promovam a formação e/ou capacitação de agentes, deverão incentivar a promoção do protagonismo, o conhecimento sobre as políticas públicas e o exercício do controle social;
 
- Quando se tratar de compra de equipamentos ou materiais permanentes deverá ser apresentado três orçamentos oficiais;
 
- As entidades e/ou grupos que adquirirem materiais permanentes provenientes do Fundo Arquidiocesano de Solidariedade deverão assinar um contrato de comodato;
 
- Os projetos serão atendidos naquilo que forem solicitados nos projetos originais, não será permitida a mudança de finalidade após a aprovação e parecer do Conselho;
 
- Os projetos terão 45 dias para apresentação da prestação de contas, em formulário próprio do Fundo Arquidiocesano de Solidariedade e;
  
- Os projetos que estiverem fora dos critérios não serão encaminhados para análise do conselho do Fundo Arquidiocesano de Solidariedade.
 
 
1.2. Projetos Sociais
 
São aqueles ligados à temática da Campanha da Fraternidade ou que sejam desenvolvidos por grupos e entidades que buscam o fortalecimento da prática da solidariedade, através da formação de agentes e da organização comunitária.
 
- O projeto deverá apresentar pelo menos 10% de contrapartida do valor solicitado, podendo ser em material, pessoal, estrutura, equipamentos;
 
- Projetos que visem à capacitação de pessoas e/ou formação de lideranças deverão apresentar listas de presença dos participantes ao término do projeto, juntamente com o relatório de avaliação do projeto;
 
 
1.3. Projetos de Geração de Trabalho e Renda
 
São os que visam à organização de grupos, associações ou cooperativas que atuam na perspectiva da Economia Popular Solidária (EPS).
 
- Os projetos dessa área de apoio deverão ser coletivos, com no mínimo 03 (três) núcleos familiares;
 
- Os grupos e /ou associações cooperativas que ainda possuírem saldo devedor com o Fundo Arquidiocesano de Solidariedade, não serão apoiados novamente, até que venha quitar com seu débito;
 
- Os projetos deverão apresentar pelo menos 30% de contrapartida do valor solicitado;
 
-Para a aquisição de matéria-prima será limitado o percentual de até 50% do valor solicitado;
 
- Após a aprovação do projeto, o solicitante assinará no ato do recebimento do recurso, o contrato de financiamento para a devolução ao Fundo Arquidiocesano de Solidariedade;
 
- Os grupos e /ou associações cooperativas que forem beneficiadas com o recurso, deverão participar da Rede ASA de Economia Popular Solidária para o fortalecimento de seu trabalho;
 
- Com a extinção do projeto e/ou do grupo, os equipamentos que foram adquiridos pelo fundo serão recolhidos para serem doados á outros grupos congêneres.
 
 
2. Papel da ASA
 
- Receber os projetos enviados ao fundo;
 
- Orientar as entidades, movimentos, grupos e pastorais sobre o funcionamento do Fundo Arquidiocesano de Solidariedade; fornecer material orientador, tais como folder, formulários e critérios;
 
- Solicitar esclarecimentos, documentos e novas adequações nos projetos, desde que anteceda o prazo de quinze dias antes da reunião do projeto;
 
- Realizar visitas de acompanhamento aos projetos apoiados, e quando for necessário, antes da aprovação, para esclarecimentos de dúvidas;
 
- Acompanhar a devolução de recurso dos grupos de geração de renda ao Fundo Arquidiocesano de Solidariedade;
 
- Após a aprovação dar os encaminhamentos necessários para o recebimento do recurso, prestação de contas e relatório de atividades;
 
- Realizar a gestão administrativa do Fundo Arquidiocesano de Solidariedade e;
 
- Encaminhar aos membros do conselho Fundo Arquidiocesano de Solidariedade em tempo hábil, cópias dos projetos enviados para serem avaliados.
 
 
3. Papel do Conselho do Fundo Arquidiocesano de Solidariedade
 
- Avaliar os projetos enviados ao Fundo Arquidiocesano de Solidariedade, emitindo pareceres;
 
- Divulgar os projetos apoiados no ano corrente nos meios de comunicação;
 
- Motivar o surgimento de novos projetos e;
 
- Acompanhar a equipe da ASA, sempre que possível, nas visitas aos projetos.